Botelho chama governador e equipe de “inertes”


O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL/MT), deputado Eduardo Botelho (PSB),

POLÍTICA Publicada: 04/08/2017 09:36:11 Atualizado: 04/08/2017 09:44:51 Autor: VGNOTICIAS
Foto: DIVULGAÇÃO
bOTELHO.

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL/MT), deputado Eduardo Botelho (PSB), durante entrevista à imprensa, demostrou irritação e chamou atenção do governo do Estado, pelo atraso por parte do Poder Executivo, em encaminhar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Teto de Gastos e da reforma administrativa à AL.

Segundo Botelho, a lentidão em realizar o processo, qualifica o governador Pedro Taques (PSDB) e a equipe de trabalho dele como “incompetentes e inertes”.

“Eu não falo mais nada, a lentidão do governo é tão grande que não dá para falar mais nada. Essa reforma tributária de dezembro não veio até hoje, já estamos no segundo semestre não veio, essa PEC era para ter vindo dezembro, não veio, resumindo, não veio nada, a inércia do governo é tão grande que não dá mais para falar nada”, reclamou o parlamentar.

Questionado se estaria irritado com a situação, o presidente da AL/MT, foi enfático em dizer que sim. “Sim, claro, estou irritado com toda lentidão, nós estamos com o Estado parado pela lentidão. É uma inércia muito grande” disse Botelho ao confirmar que a inércia é resultado da incompetência da equipe toda do governo.

Outro Lado – O secretário de Comunicação de Mato Grosso, jornalista Kleber Lima, em entrevista ao  rebateu as críticas do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho e disse que “não é incompetência, é falta de dinheiro e não é leniência é compromisso democrático com o diálogo”.

Kleber disse ainda, que Botelho deve ter acordado mal-humorado hoje. “Todo mundo tem um dia ruim e hoje é o dia dele, a gente compreende. Nós temos o maior respeito pelo deputado Botelho, ele é um grande parceiro do governo e do Estado de Mato Grosso. Eu acho que ele confunde, não falta competência do governo, o que está faltando é dinheiro. E ele sabe porque está faltando dinheiro em Mato Grosso hoje”, rebateu o secretário.

O secretário diz que democracia dá trabalho e exige paciência. Segundo Lima, o projeto não foi enviando ainda porque o governo está dialogando com todos os atores envolvidos, inclusive com a Assembleia Legislativa. “Se a gente manda os projetos sem estar suficientemente debatido, a própria Assembleia não aguenta pressão dos atores envolvidos e acaba tirando de pauta”, justificou.

E finalizou afirmando que o governo está concluindo e dialogando sobre os projetos mais polêmicos e está trabalhando.

“Agora, ele também está equivocado em afirmar que o Estado está parado, nós, inclusive, estamos em Barra do Garças, na Caravana da Transformação, devemos fazer aqui até seis mil cirurgias de catarata. O governador já entregou e lançou dezenas de obras no Araguaia durante esta semana. Então, por isso que eu digo que ele (Botelho) deve ter acordado nervoso com alguma coisa e isso cegou ele um pouco. E não é incompetência é falta de dinheiro e não é leniência é compromisso democrático com o diálogo”.

Comentários

Comente está notícia:

Entrar na Rede SBC Brasil